terça-feira, 10 de julho de 2012

SKIN (Reupado)

Martin "Chadinha" é um adolescente revoltado. Ele é um Skinhead e vítima de Fecomelia, causada por Talidomida. E aqui vemos, sem melodramas baratos, sua trágica história. Graphic Novel recusada por várias editoras inglesas, somente publicada pela editora Tundra em 1992, é um dos mais ousados trabalhos da dupla Peter Milligan / Brendan McCarthy (Shade, the Changing Man). Não recomendado para estômagos fracos.
Tradução:
Mussorgsky
Letras:
Le-X

BAIXE SKIN

11 comentários:

Tche disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tche disse...

Grande Galera

Ótimos lançamentos nos últimos dias!

Muito obrigado!

Gibiscuits disse...

É bom sair do esquemão super-herói (fantasiado ou ñ) e das editoras americanas de vez em quando.

KOMIKER MASTER disse...

Égua da história.
Um verdadeiro soco no fígado.
Muito bom os lançamentos.
Parabéns.

Gibiscuits disse...

Valeu!

EDITORA PUNK disse...

Em primeiro lugar, parabéns pelo trabalho de seu blog em compartilhar cultura de quadrinhos, é prazeroso encontrar pessoas não movidas unicamente por dinheiro.
Sobre a revista, achei du karalho vcs terem abordado um tema tão polêmico como a subcultura Skin, e digo skins de verdade, botas suspensórios e sem aquele símbolo maldito; todavia ficaram umas pontas soltas que gostaria de completar, o movimento skin não aderiu totalmente ao nazismo como o texto deu a entender, muitos continuaram com a tradição antiga, e alguns, como reação, se organizaram para combater os nazis (como a RASH e os SHARPS) inclusive o prṕrio neonazista não se define como skinhead, de certa forma essa subcultura é injustiçada,convido os camaradas a pesquisarem sobre essas organizações; mas, valeu terem feito uma publicação como essa, sei que é necessário muita ousadia em se desfiar a grande mídia, parabéns e abraços; OI!

roberto hollanda disse...

valeu pelos elogios, Editora Punk. Realmente, tive contato com SHARPS daqui do Rio de Janeiro, e comparando com o que há no texto e o que eles me repassavam, há uma visão meio inocente de Milligan e Mcarthy sobre o movimento. Contudo, preferi manter a originalidade da tradução e não acrescentar nada aos textos.

Anônimo disse...

Olá poderia reupar???? obrigado.
Depois de ler os comentários fiquei curioso... e o arquivo esta off...
:(

roberto hollanda disse...

desculpe a demora. procurando o arquivo aqui pra reupar.

Unknown disse...

Queria ler essa nojeira...mas o link foi sodomizado pela máfia-gay.

Anônimo disse...

Sou eu deno (do comentário de 16-fev) Muito obrigado. Vou ler neste fim de semana..... :)