segunda-feira, 15 de outubro de 2012

The Temple - de H. P. Lovecraft

Eis uma contundente prova que se faz HQs de qualidade soberba muito além do que se vê no mainstream. The Temple, do argentino Hernán Rodríguez foi publicada originalmente como Visiones e em seguida ganhou a Europa merecidamente. Aqui o autor usa sua técnica narrativa para adaptar com maestria ímpar cinco contos do maior gênio do horror literário que viveu: Howard Phillip Lovecraft. Se você já conhece a tétrica obra de HPL, dispensa comentários sobre o escritor americano do início do século XX. Se não, faça um favor a si mesmo e veja uma verdadeira obra-prima adaptada pelas mãos de um mestre da arte sequencial.
Esta postagem fecha um ciclo super produtivo do grupo ( que vinha desde o nosso aniversário). Mas calma, vamos apenas concentrar esforços para um novo ciclo... já, já tem muito mais. Aguardem!!!
Tradução e Adaptação: 
Skætos
Letras:
Le-X

23 comentários:

Anônimo disse...

"The Temple", adorei! Essas historias de horror me cativam... H. P. Lovecraft, é mesmo muito foda!!
Valeu galera,
obrigado por postarem essa. \o/

Anônimo #4521 disse...

L-I-X-O!

Gibiscuits disse...

Lixo é a sua atitude.

Carfrangs disse...

Valeu por mais essa parceiros, realmente como mencionou o colega do algo, HPL é muito .... vamos conferir!!

Marcos Farias disse...

Pois é... o cara se limita a xingar anonimamente a iniciativa alheia de trazer material de qualidade não publicado no Brasil. Algumas observações:
1. Bem que ele poderia ser mais específico com relação ao que ele não gostou. Faltam palavras ao energúmeno? Poupando-lhe o trabalho de procurar o que significa a palavra "energúmeno" eis a definição encontrada em um dicionário virtual disponível na net:
É toda pessoa inútil que encontramos casualmente, durante nossos dias, que não faz nada certo, ele parece um verdadeiro retardado mental, mas não se engane, pois ele é único, nem o jumento é tão burro igual ao energúmeno, filho de uma égua.
Caro amigo, desculpe a franqueza, mas eu lhe acho um grande energúmeno (inútil), com todo respeito amigão, acabou, quer que eu escreva mais o que...?
2. É muito fácil ofender escondendo-se no anonimato.
3. Seria salutar vendo-o fazer coisa melhor do que o que você chamou de lixo.
4. Se você não tem nada de bom a dizer, por quê se preocupar em perturbar quem só procura trazer bom entretenimento a quem procura?
5. Tristes figuras vagam perdidas no vazio da alma.

Anônimo disse...

todo esse trabalho e não ganha um centavo

Gibiscuits disse...

Esse é seu melhor argumento? Espero que vc tenha pouca idade pois se for um adulto é de dar pena. E pode ficar trolando, nota-se que não tem nada mais para fazer.

roberto hollanda disse...

pois é, todo este trabalho e nem um centavo. O que paga minhas contas não é isto. Mas me dá muita alegria fazer. Anônimo #4521 é mais um escravo que nunca leu "uma história de sucesso" do Billy Burg.

Marcos Farias disse...

Cara, isso aqui não é pra ganhar dinheiro. E mesmo que fosse, nunca se pede nada em troca do "trabalho" feito neste blog (e na imensa maioria deles, nacionais e de fora). Trata-se de uma atividade que se faz por prazer, por altruísmo e por outras qualidades que provavelmente o "Anônimo #4521" nunca ouviu falar. Dinheiro a gente ganha trabalhando. Prazer a gente encontra no que faz de melhor.

Anônimo disse...

Não é o Anônimo #4521, muito prazer em ler as Hqs, mas não me parece prazeroso dispor de seu tempo livre para realizar um trabalho como esse para não receber nenhum dinheiro e ainda ter que aturar comentários como alguns... Só muito altruismo mesmo.

Marcos Farias disse...

O que não lhe parece prazeroso não quer dizer que não o seja para outros. Mais: se lhe causa prazer ler as HQs disponibilizadas, esta é em si uma fonte de satisfação para quem se dedica a fazer.

Imagine que se não houvesse gente disposta a tocar blogs como este, você provavelmente não encontraria a maioria destas HQs (do seu gosto ou não) disponíveis na rede.

Não sei vocês, mas quando eu podia, batia uma bola com meus amigos e não ganhávamos nada com isso: às vezes até gastávamos, fosse para comprar uma bola ou outra despesa qualquer. Tem coisas que se faz por prazer e de graça.

O fato de esta atividade não render dinheiro não quer dizer que não dê retorno a quem faz. E, em última análise, se não dá dinheiro é problema de quem faz, não de quem usufrui.

Infelizmente existem trolls e pessoas estúpidas o suficiente para atacar de forma covarde e inconsequente quem tenta fazer os apreciadores de HQs felizes. Lamentável.

Anônimo disse...

"Se você é bom em alguma coisa nunca a faça de graça." Coringa

roberto hollanda disse...

...é o que o capitalismo quer que as pessoas desejem, sempre. será que o "pagamento" de algo sempre tem que ser material? pra pagar minhas contas, tenho outras formas de subsistência. mas na nossa sociedade atual, nem sempre isso é o que nos dá prazer - um erro. se todos tivéssemos formas de subsistência sem qualquer trabalho, como utilizaríamos nossas vidas? o ciclo "trabalho - dividendos - consumo - alienação" é um pouquinho quebrado aqui.

roberto hollanda disse...

obs: vejo agora que o "Anônimo #4521" e o "Anônimo" não são a mesma pessoa (são "homônimos", não tinha como descobrir se não eram os mesmos). Bom saber, você parece um pouco mais aberto ao diálogo que o primeiro.

Anônimo disse...

Eu tenho um site sobre filmes, que aparentemente deu certo já que tem muitos inscritos, muitas vizualizações, conversei com os inscritos eles disseram que checavam o site todo dia, mas eu deixei ele de lado á muito tempo. Depois de um dia inteiro trabalhando chegar em casa realizar pesquisas extensivas e outras atividades trabalhosas para às vezes receber um "valew" ou "obrigado", isso quando não surgem comentários como o do Anônimo #4521, simplesmente começou a parecer mais um castigo que um hobby, por isso estou tentando entender o que motiva outros que deixou de me cativar. Como aspecto positivo do abandono do site cito a maior disponibilidade de tempo para leituras,amigos entre outras atividades. É como Epicuro ensina, um prazer tranquilo. .

Éverton Littleton disse...

Gente, acabo de baixar, mas ainda não li. Anos atrás tinha lido RE-ANIMATOR em sua versão conto e realmente era assustador! Esta semana li e reli mais de duas vezes a fascinante "NEONOMICON" de Alan Moore, baseada na mitologia Lovecraftiana, e asseguro que é uma das melhores coisas que li nos últimos tempos! Se este scan for a metade disso, será um grande feito!

Quanto ao fato de a gente traduzir sem "ganhar nada", como muito na vida, isso é bastante relativo: eu pelo menos ganho a satisfação de ter versado para minha língua algo de que eu seja fã, e ainda mais, traduzido por MIM, chapa. Isso faz bem até pro meu ego. Fora o fato de saber que tentei fazer o melhor trabalho possível e ver que há pessoas aguardando as coisas que traduzimos, tanto para ler quanto para espalhar essas versões traduzidas nos diversos blogs que seguimos ou que nos seguem. Graças a estes scans podemos inclusive poupar uma grana ao descobrirmos se o material é bom ou não. Quantas vezes ficamos curiosos pra ler esta ou aquela revista que é caríssima, pelo simples medo de comprar gato por lebre? O scan evita isso, Sr. Anônimo 100% capitalista-mercenário. Não ganho dinheiro, mas posso ajudar idiotas como VOCÊ a poupar o seu, ou a gastá-lo na certeza de que vai comprar um material de seu agrado. Sou atualmente o tradutor de CEREBUS aqui no blog, e se posso traduzir este material é graças aos scans em inglês que baixei. Mais que isso: tive a certeza de que o material é bom, certeza essa que me faz encomendar o material original várias vezes por ano desde 2009. Minha coleção vai muito bem, obrigado, meu inglês está cada vez melhor graças às traduções e considero isso um investimento, uma vez que é um estudo constante da língua estrangeira e ainda me ajuda a tentar manter meu português em ordem, pra evitar uma versão mal-feita. Se você acha tão ruim o scan, deleta, cara. Se é contra o trabalho não remunerado da gente, NÃO BAIXA, pô. Vai arranjar uma lavagem de roupa (se é que alguém vai te PAGAR por isso) e deixa a gente se divertir e aprender ao mesmo tempo com nosso pequeno hobby de tradutores. Falou?

Anônimo disse...

Em momento algum disse que não gostava do site ou dos scans, também leio escans em outras línguas como inglês e espanhol muito bons por sinal e concordo que me ajudaram a entender melhor essas línguas. Eu mesmo legendei alguns filmes e animações. Quanto a parte referente ao ego, realmente me parece uma boa resposta, talvez seja essa a razão. Conforme já disse não estou tentando impedir ninguém de se divertir, apenas tentando compreender o que os motiva que não me motiva mais. Acredito que os elogios ou a popularidade do que fiz não conseguiu mexer com meu ego. Trata-se de satisfação do ego, e nunca liguei muito para isso.

Marcos Farias disse...

Seria leviano afirmar que não se faz isso em parte para dar uma "acariciada no ego". Isso fica patente nos logotipos que estampamos nos scans e nos próprios créditos que nos damos pelas atividades desempenhadas no processo. Isso motiva sim.

Por outro lado tem realmente o fato de que gostamos do que fazemos. Citei antes o lance da "pelada" de fim de semana com os amigos. Eu gosto de jogar bola e não sou do melhores, mas estou longe de ser dos piores. Isso se faz por gosto, por satisfação pessoal. Se por acaso se junta uma galera e fica olhando o nosso jogo, eu não vou "cobrar ingresso" pra eles verem o que eu iria fazer de qualquer jeito. Pior ainda, eu não vou parar de jogar bola ou ficar intimidado porque algum zé ruela ficou perto da quadra falando merda só pra parecer fodão.

É a mesma coisa aqui. A motivação existe por uma série de fatores, como deixou entendido o Littleton. Aliás, concordo com boa parte do que o Littleton disse no seu comentário e devo adverti-lo de que The Temple é uma adaptação de contos originais de H. P. Lovecraft, diferentemente da obra de Moore, que utiliza a "mitologia lovecraftiana" para criar uma história excelente e uma homenagem bacana; ou seja, as duas não devem ser comparadas, na minha opinião.

Acho que se alguém não encontra motivação no que faz deve realmente parar, mas deve entender que as pessoas são diferentes e cada uma tem suas próprias características pessoais. Eu sou capaz de respeitar alguém que para de fazer uma coisa por falta de motivação, mas será que serei respeitado por fazer o que faço com minha própria motivação?

roberto hollanda disse...

agora até entendo o ponto de vista de Anônimo. poxa, cara, pra ser sincero, não serão 50 "é uma porcaria" que nos farão abandonar isto. Mas serão dois "muito bom, valeu!" que nos fazem continuar. Continuar com mais vontade que antes. Se você tinha um trabalho - e acredito, é um trabalho, hehe, traduzir estes quadrinhos não é mole MESMO - e você decidiu parar, com certeza não foi apenas pelas críticas. algo mais o fez desistir, algo que atrapalhou sua vida pessoal. esse tipo de coisa leva qualquer um a parar.

Anônimo disse...

Acredito que o que nos diferencia é a forma como pesamos as críticas e os elogios, elogios atualmente eu nem leio ou nem escuto, a menos que tenha alguma sugestão ou uma opinião complementar (muito raro), crítica ainda vez outra surge alguma coisa aproveitável (raro também). 50 "muito bom, valeu!" e "blablablabla" vejo como a mesma coisa.Não foram as críticas que me fizeram parar e sim a falta de algo mais que me motivasse, no emprego por exemplo é o dinheiro. Cheguei ao ponto que questionei o porque de fazer isso. Não estou sugerindo que façam como eu fiz. A opinião alheia os motiva, no caso dos elogios, quanto a mim não surte efeito talvez seja por isso que eu busque sempre um resultado mais concreto.

Gibiscuits disse...

Cara, vc tem o direito de buscar o que quiser e seguir seu caminho e é o que deveria fazer. A leitura que vc dá as palavras de meus colegas só vai até o seu próprio dicernimento...ninguém aqui faz o que faz por conta de elogios ó chata criatura. Caso fosse já teriámos desistido, basta ver os poucos posts comentados na imensidão deste blog...agora sinceramente vc já tá cansando. Vai filosifar em outro blog, vai. E sinceramente colegas, nós já alimentamos demais estes anônimos. O cara fala, fala e fala e nada de dizer quem é ou qual blog tinha. Pra mim chegar de bater papo com fantasmas. Sugiro o mesmo.

Renato disse...

Não discutam com tietes do Coringa, pessoal. O cara pode surtar e entrar em um cinema atirando na platéia.

Luiz disse...

Vocês deveriam criar um marcador mais fácil de se achar essa HQ, como, mesmo, The Temple ou Lovecraft. Em "one-shot" ela fica escondida; e é uma das melhores HQs que vocês tem por aqui - minha opinião.^^

Olha, adorei ler ela! então, obrigado! E pra quem não leu, deveria pelo menos dar uma olhada. É incrível quanta gente gosta de Lovecraft - em sites que disponibilizam seus contos, os comentários são bem entusiasmados. Pena que não é gente que lê HQs.