segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Starstruck 02

Segunda edição na telinha. A trama lisérgica da Elaine Lee começa a ficar mais delineada e clara... mas a arte do Kaluta continua boa do mesmo jeito. Como eu prometi na edição anterior, vou começar a falar um pouco sobre o (complicado) histórico de publicação de Starstruck:

Como já foi mencionado, Starstruck foi criado como uma peça de teatro e posteriormente adaptado para as HQs. Originalmente era uma série de historietas que, somadas, somavam umas 80 páginas. Essas histórias iniciais começaram a sair em abril de 1982 por uma revista independente (e extinta) da Espanha chamada "Illustracion + Comix International", uma antologia de quadrinhos de ficção nos moldes da Metal Hurlant, a partir da edição 17. No total, foram sete histórias aqui. Entre novembro de 1982 e julho de 1983 essas mesmas histórias saíram na revista Heavy Metal, em capítulos de oito ou nove páginas.
Eis que a Marvel entra em cena e Starstruck muda de casa mais uma vez. Inicialmente o que a Marvel faz é compilar todo o material que saiu na Comix International e na Heavy Metal, lançando uma Graphic Novel (na numeração original, era a GN 13) intitulada "Starstruck - Os azarados, abandonados e desamparados". Essa GN foi indicada para o Jack Kirby Award na categoria de Melhor Álbum em 1985.
O sucesso dessa GN gerou uma série continuada pelo lendário selo da Marvel, a Epic Comics (para os leitores mais jovens e/ou menos informados pensem na Epic como a ancestral da Vertigo, só que da Marvel). Foram seis edições bimestrais, de fevereiro de 1985 a fevereiro de 1986.
Com o fim da série pela Marvel-Epic, os autores experimentaram uma abordagem diferente e lançaram duas histórias curtas das Garotas Guias Galáticas como tirinhas complementares na revista Rocketeer, de Dave Stewart, que saía pela editora COMICO Comics, em 1987 e 1988. Infelizmente não houve continuidade nessa editora, mas nos anos que viriam mais surpresas apareceriam.
Vem a Dark Horse e propõe a Mike Kaluta continuar a série por lá. Depois de algumas ponderações editoriais, Lee e Kaluta decidiram não continuar a série e sim "começar tudo de novo". Na prática: eles lançaram Starstruck - O Universo Expandido, que pegaria tudo que já fora feito e acrescentariam mais de 320 páginas de material novo complementando a trama. Na edição de estreia o plano foi apresentado aos leitores: haveria um total de 12 edições divididas em 3 volumes de 4 edições cada, e entre cada volume haveria uma edição especial curta. As quatro primeiras edições saíram em preto e branco e, depois disso, a Dark Horse abriu um hiato de publicação...
Depois que se pega o costume de mudar de casa, tudo fica mais fácil. Ou não. Durante os anos 1990 Lee e Kaluta buscaram continuar o projeto e tinham acertado a publicação de uma minissérie em cinco partes pela Tundra Publishing, de Kevin Eastman, mas quando essa companhia foi comprada pela Kitchen Sink, o projeto foi cancelado e os autores se dedicaram a outros projetos.
Vem o ano de 2009 e a IDW anuncia que Starstruck será publicada novamente. Neste "Volume 1" da IDW o material usado é: a Graphic Novel da Marvel + 100 páginas de material "novo" (que apareceram na edição da Dark Horse) + #01 da Epic Comics. O resultado foi dividido em 13 edições que trazem também as histórias das GGG que saíram pela COMICO como bônus. Ah, e tudo remasterizado, com colorização nova.

Ufa! Cansei!

São essas 13 edições da IDW que a parceria Gibiscuits & Quadrinhos Inglórios pretende fazer pelos próximos meses. Boa leitura!

Tradução e adaptação por Skætos
Diagramação por Carfrangs


http://www.4shared.com/file/wIlBwyF7ba/startruck_02__idw___gibiscuits.html?


3 comentários:

Alex disse...

Interessante a hq.Valeu.

roberto hollanda disse...

senti-me até intimado a escrever após um texto tão longo e esclarecedor! parabéns pelo trabalho!

Skætos disse...

Valeu, Roberto. Sempre achei interessante pegar essas histórias de bastidores e trazer para o leitor. No caso de Starstruck merecia mesmo uma explicação, e essa é a versão resumida... ou o mais resumida que deu pra fazer sem perder muitos detalhes. Mostra também a determinação dos autores em investir no próprio sucesso em mais de 30 anos de bons e maus momentos.