quarta-feira, 19 de novembro de 2014

67 Segundos - Graphic Novel (Epic Comics)

Não é segredo para ninguém que eu sou um fã da linha Epic Comics que a Marvel possuiu entre os anos 80 e 90. Muitas coisas excelentes saíram por lá e, paradoxalmente, pouquíssimo material teve tradução no Brasil. Este é um belo exemplo: 67 Segundos é a melhor GN que li neste ano, sem exagero nenhum. Claro que com James Robinson (A Era de Ouro, Starman...) e Steve Yeowell (Invisíveis, Zenith...) não tinha como dar errado, somando-se a isso a liberdade editorial e criativa que a DC imitaria anos mais tarde em sua linha Vertigo.
Sobre a trama, deixo vocês com a sinopse do próprio Robinson:
"Através de uma Europa dividida pela guerra, ela sempre foi a repórter fria e obcecada pela notícia, Emily Bougue. Em meio ao conflito e ao caos, você esteve lá com ela e por ela, como o melhor fotógrafo de guerra de sua época, Brian Fellowes.
Por milhares de vezes você a salvou, abrigando-a da dor, da morte e de coisas piores porque - Deus tenha piedade - você a ama.
Sobre um telhado de hotel coberto de neve, uma corda de reboque balança diante de você, a vida dela pendendo de um lado da balança, e a morte fria e silenciosa esperando por você no outro. Pode ser que você tenha uma chance de salvá-la. Você pode não ter chance alguma.
Mas você só tem sessenta e sete segundos para decidir."
Nem precisava, mas... boa leitura!

Tradução e diagramação por Skætos
Capa e contracapa por Carfrangs

https://mega.co.nz/#!g9ogXK7L!i31OOOBwjF5hILH7vbeLeDyCe_gopD15D95Gi7jVQ-Y

6 comentários:

Johnny Who disse...

Muito bom!!!

Anônimo disse...

caraca, voces sao demais. material da epic eh show....

hsm

hugo hugos disse...

Valeu, muito obrigado. porque não cria o marcador Epic Comics. eu também adoro as est´rias.

Anônimo disse...

O material da Epic é realmente sensacional,espero que coloque na sua lista de futuras traduções Stray Toasters de Sienkiewicz.

Skætos disse...

Stray Toasters é muito bom mesmo - eu já li e indico... mas é o tipo de material que é quase impossível de se fazer nesse esquema diletante de blog.
Além do tamanho dela, por si só, já ser um óbice,há outros fatores que inviabilizam essa empreitada: tanto a tradução quanto a diagramação dela, numa escala de dificuldade de 0 a 10, levariam nota 9,5.
Roteiro cheio de figuras de linguagem altamente interpretativas e subtextos que são praticamente impossíveis de adaptar para o português (isso iria requerer um vasto "apêndice" só com notas explicativas)
A diagramação seria uma luta à parte: boa parte do texto de Stray Toasters é feito "à mão" pelo Sienkiewics, valendo-se disso para criar efeitos visuais com o próprio texto. Acredito que o diagramador teria que ser também um artista de talento respeitável para reproduzir o efeito artístico em português... além de provavelmente ter que possuir uma mesa digitalizadora para fazer essas artes. Não dá para simplesmente apagar o texto de Stray Toasters e colocar a tradução lá usando fontes preestabelecidas.
Sendo assim, a conclusão: Stray Toasters é impossível de adaptar? A resposta é não, mas seria tão trabalhoso que não sei se a mão de obra e o tempo envolvido compensariam. E, de graça, não tem nem perigo de eu me meter com uma coisa dessas.
Mas valeu pela lembrança.

roberto hollanda disse...

penso a mesma coisa quando decidi começar o Rogan Gosh (Milligan / McCarthy). muuitos textos escritos à mão, misturados com a a rte, que simplesmente ainda não sei como vou fazer pra traduzir.